Gabriel tem apenas oito anos e há quase 48 horas que não se sabe nada dele. O menino, de apenas oito anos, desapareceu na passada terça-feira depois de ter saído de casa dos avós em Níjar, Almería, em Espanha, para ir brincar com amigos e nunca mais voltou, segundo conta a imprensa espanhola.

A mãe da criança e um familiar do pai revelaram que o menino estava com o pai em casa da avó em Las Hortichuelas para passar os dias de férias por causa do Dia de Andaluzia. 

Cerca das 15:00, saiu para ir a casa de um primo, a cerca de 150 metros de casa dos avós. Mas nunca chegou ao destino e a avó só percebeu isso quando o foi para o ir buscar, ao fim da tarde.

O delegado do governo de Andaluzia, Antonio Sanz, em declarações aos jornalistas, disse que o rasto de Gabriel se perdeu entre as localidades de Las Hortichuelas e Las Negras, cerca das 15:30, mas o alerta só foi dado perto das 20:00.

"A família só o comunicou a essa hora porque, inicialmente, a criança estava em casa dos avós, a uns 25 metros da casa dos primos, e ele, habitualmente, anda entre a casa de uns e outros. Uns pensavam que estava em casa dos primos e outros que estava na casa dos avós", afirmou Antonio Sanz, acrescentando que a Guardia Civil ativou o protocolo de busca de imediato.

Na quarta-feira, as buscas foram reforçadas com meios aéreos e com o Grupo Especial de Atividades Subaquáticas. No entanto, de Gabriel, nem rasto.

Segundo o delegado do governo, ainda não há nenhuma pista que possa indicar a causa do desaparecimento do menino.

"Colocámos em ação o dispositivo mais amplo para ter um resultado positivo o mais rápido possível", referiu.

De acordo com fontes da Junta de Níjar, citados pelo El País, participam nas buscas mais de 60 profissionais da Guardia Civil, da polícia local, da Proteção Civil e mais de 150 vizinhos voluntários.

No momento em que desapareceu, Gabriel vestia umas calças pretas com listas brancas, da marca Adidas, uma camisola vermelha com capuz. 

"Alguém levou o meu filho"

O pai de Gabriel falou, esta quinta-feira, sobre o desaparecimento do filho em entrevista à Cadena Ser.

"Acredito que o meu filho não está aqui, o meu filho não se perdeu. Alguém levou o meu filho. Apenas peço ao meu filho que seja forte, que aguente, que estamos à procura dele, que aguente um pouco que vamos encontrá-lo", afirmou Ángel Cruz entre lágrimas.

Também esta quinta-feira, os pais de Gabriel estiveram num programa da Telecinco, onde a mãe, emocionada, garantiu que o filho "não é um menino que faça loucuras, é muito obediente".

Por estas razões, os pais de Gabriel acreditam que este foi sequestrado. 

No entanto, a Guardia Civil mantém todas as hipóteses em aberto, apesar de considerar "estranho que ninguém tenha visto nem ouvido nada".

"É um povo onde nunca aconteceu nada, as crianças estão sempre para acima e para baixo", afirmou um primo do pai à Efe.