Notícia atualizada às 11:00

Um ataque a uma escola no norte da Nigéria fez várias mortes esta segunda-feira. Fonte oficial confirma que há, neste momento, «47 estudantes mortos e 79 feridos», de acordo com a agência France Presse.

A explosão deu-se quando os alunos daquela escola de Potiskum faziam a oração da manhã, antes das aulas começarem. As autoridades revelam que o ataque foi levado a cabo por um bombista suicida. 

Fontes da escola e do hospital contactados pela AFP não conseguem precisar o número de estudantes atingidos pela explosão, mas, na escola continuam a ser retiraradas vítimas e, da parte do hospital, um médico explica que «a prioridade é salvar as vítimas e ainda não começaram a fazer a contabilidade».

Um testemunho recolhido pela agência noticiosa no exterior do edifício relata que ouviu um grande estrondo e que neste momento há «uma grande confusão, com sangue e sapatos espalhados».

O ataque não foi reivindicado, mas o Boko Haram, o grupo radical islâmico que defende que a escola é uma maneira de «ocidentalizar» a população, figura entre os principais suspeitos.

Em julho, um outro ataque a um estabelecimento de ensino tirou a vida a 42 estudantes em Mamudo, perto de Potiskum, quando o grupo radical atacou os dormitórios.

O Boko Haram também foi responsável pelo rapto de 276 raparigas de uma escola em abril.

As negociações com o governo nigeriano atingiram o seu ponto mais alto há umas semanas, com o presidente a anunciar ter chegado a acordo com o grupo islâmico para a libertação das alunas – embora sem adiantar datas para tal -, um caso que sensibilizou a comunidade internacional