Dezenas de pessoas foram mortas em três aldeias no nordeste da Nigéria. Terão sido vítimas de ataques de grupos armados, suspeitos de pertencerem ao Boko Haram.

Os rebeldes disparam a matar contra os fiés, terão usado bombas no ataque e pelo menos quatro igrejas terão sido incendiadas.

As três localidades situam-se no estado de Borno, onde foram raptadas mais de duzentas raparigas em abril.

Pelos menos 30 corpos foram recuperados, mas há ainda cadáveres a serem retirados dos arbustos, onde as pessoas se esconderam, revela um dos membros de um grupo de vigilantes que tem tentado fazer frente à violência dos Boko Haram.

No ataque foram queimadas ainda várias casas e os sobreviventes de uma aldeia contaram já que os soldados nigerianos demoram muito tempo a reagir ao ataque e que quando chegaram ao local recusam o embate direto com os extremistas. Os soldados nigerianos terão apenas disparado «ao longe» para impedir o massacre.

A dimensão do ataque está ainda por calcular, uma vez que ainda não foi possível chegar a todas as aldeias atacadas e assim verificar a dimensão do violento ataque.