Foram reveladas as imagens de satélite das cidades nigerianas que estão a ser atacadas por Boko Haram, desde 3 de janeiro. As manchas gráficas mostram a destruição e sugerem um elevado número de mortos.
 

«Ninguém ficou para trás para contar os corpos. Estávamos a tentar fugir dos combatentes do Boko Haram que ocuparam a área», disse um residente, à ONG.


A ONG Human Right Wacht divulgou uma imagem por satélite onde mostra o rasto de destruição, depois das milícias islamitas terem controlado a região.

Segundo a Amnistia, as imagens mostram cerca de 3.700 estruturas danificadas ou destruídas na região durante este mês. Os relatórios apontaram para dois mil mortos, mas o governo da Nigéria já contestou os resultados e disse que o número de mortos foi de 150.

Uma onda de violência ligada ao grupo Boko Haram tem atingido a Nigéria. Na passada semana houve vários ataques, incluindo ataques de crianças suicidas. 

No próximo mês, a Nigéria vai realizar eleições, mas a ONG diz que não sabe se o direito a voto vai chegar a todas as regiões do país.



«Varrido do mapa»

A Amnistia Internacional disse que o ataque a Baga e Doron Baga, no extremo nordeste da Nigéria, foi o maior que Boko Haram fez. Cerca de 620 estruturas foram destruídas em Baga e mais de 3.100 em Doron Baga, como mostram as imagens de satélite do antes e depois tiradas no dia 2 e 7 de janeiro.

A vegetação saudável é mostrada pela cor vermelha. Muitos barcos de pesca de madeira que estavam na costa no dia 2 já não são visíveis no dia 7.

«Estas imagens detalhadas mostram uma devastação com proporções catastróficas nas duas cidades. Uma das quais foi quase varrida do mapa em apenas quatro dias», disse Daniel Eyre, pesquisadora da Amnistia ao jornal BBC.

«A imagem representa um ataque pensado contra civis e onde escolas, casas e hospitais estão em ruínas», adiantou.


Na semana passada, Musa Alhaji Bukar, um alto funcionário do governo da região, disse que a cidade de Baga tinha cerca de 10 mil moradores e que agora quase não há ninguém.

A cidade ardeu até ao fim», afirmou ainda um morador ao correspondente da BBC, Will Ross.

Segundo as autoridades, os militares atacaram a cidade de Baga no dia 7 de janeiro, quatro dias depois das tropas terem abandonado a base militar nigeriana. Adotei Akwei, da Amnistia, disse à BBC que «embora não se saiba ainda os resultados do ataque, o governo nigeriano manipulou o número de mortos».



Na timeline em baixo, pode-se ver os acontecimentos dos últimos dias em Baga e Dorom Baga.