O Presidente da Venezuela exigiu na segunda-feira aos Estados Unidos, México e Colômbia explicações sobre o seu alegado envolvimento numa conspiração que os serviços secretos norte-americano (CIA) estão a preparar para o derrubar.

Exijo ao Presidente norte-americano [Donald] Trump que clarifique as insolentes palavras intervencionistas do diretor da CIA, que pensa ser o Governo mundial”, afirmou Nicolas Maduro, numa cerimónia militar.

O Presidente venezuelano acusou o diretor da CIA, Mike Pompeo, de ter feito saber que Washington “trabalha em colaboração direta" com as administrações mexicana e colombiana para "derrubar o Governo da Venezuela”.

O ministro dos Negócios Estrangeiros venezuelano, Samuel Moncada, publicou, no Twitter, as declarações que, segundo ele, Pompeo fez numa entrevista no âmbito do fórum de segurança em Aspen, a 20 de julho.

 

Estive em Bogotá e no México há duas semanas, e evoquei precisamente este tema [da transição política na Venezuela], para os tentar ajudar a compreender o que podem fazer para obterem melhores resultados neste canto do mundo", terá declarado o responsável da CIA, segundo um documento citado por Moncada.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros do México e da Colômbia já rejeitaram as acusações.

A Venezuela iniciou uma semana decisiva, com a oposição a multiplicar as iniciativas para bloquear a eleição da Assembleia Constituinte, prevista para 30 de julho.