O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou no sábado que no seu país todos são «obrigados a fazer política em paz» e pediu à oposição que se demarque dos atos de violência dos últimos dias.

«Somos venezuelanos e somos obrigados a fazer política em paz, eu apelo à MUD [aliança da oposição Mesa da União Democrática] que se demarque dos grupos violentos, condene a violência e desmobilize estes grupos fascistas», afirmou Maduro perante uma concentração de mulheres apoiantes do regime e do ex-Presidente Hugo Chávez.

Num discurso proferido depois de uma manifestação dos seus apoiantes em Caracas, Maduro aconselhou especificamente o secretário-geral da MUD, Ramón Aveledo, e os governadores de Miranda (centro), Henrique Capriles, e Lara (oeste), Henry Falcón, «os três chefes principais da oposição», a desvincularem-se destes atos violentos, que nos últimos dez dias provocaram dez mortos.