O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, criou um novo partido, o Movimento Somos Venezuela (MSV), que terá como missão impulsionar a sua reeleição nas próximas eleições presidenciais.

"Hoje (quarta-feira) nasce um novo movimento político: moderno, inclusivo, popular, jovem, do futuro", anunciou o próprio na sua conta da rede social Twitter.

O anúncio surge no mesmo dia em que o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) marcou eleições presidenciais antecipadas para o próximo 22 de abril.

A formalização do novo partido foi feita pela presidente da Assembleia Constituinte (composta unicamente por apoiantes do regime), Delcy Rodríguez, que entregou ao CNE os estatutos do MSV e convidou os venezuelanos, via televisão estatal, a usar as 24 redes (uma por cada estado que compõe o país) para nele se inscreverem.

A presidente da Assembleia Constituinte explicou também que o MSV é um "movimento de movimentos sociais" composto por representantes de jovens, mulheres, empresários, estudantes, trabalhadores, camponeses e indígenas.

Delcy Rodríguez indicou ainda que ela mesma vai "desfiliar-se formalmente do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, o partido do Governo)", para poder juntar-se ao novo movimento e garantir assim que não existe dupla militância política.

O MSV agrupará ainda os movimentos que fazem parte do Congresso da Pátria (composto por socialistas), os portadores do Cartão da Pátria, que dá acesso a programas sociais estatais e os "migrantes" que chegaram à Venezuela.

Segundo o canal venezuelano privado de notícias, Globovisión, o MSV surgiu em junho de 2017, como um mecanismo social do Estado para verificar os dados de cada um dos beneficiários do Cartão da Pátria.