Um nevoeiro cerrado, provocado por índices de poluição elevadíssimos, obrigou ao encerramento de uma das maiores cidades do Nordeste da China. Harbin, capital da província de Heilongjiang, com 11 milhões de habitantes, viu as escolas suspenderem as aulas, o aeroporto fechar e o trânsito automóvel sofrer fortes condicionamentos. É a primeira grande crise de poluição deste Inverno, um problema que todos os anos assola a China.

As medições da qualidade do ar, chegaram a ter um índice de 1000 em algumas partes da cidade. Um nível acima dos 300 é considerado perigoso e a Organização Mundial de Saúde não recomenda exposições a um nível superior a 20 diáriamente.

As autoridades apontam o primeiro dia de grande frio, em que os habitantes ligaram em massa o aquecimento. O nível de poluição é tal que a visibilidade na rua ficou reduzida a 10 metros e assim deve continuar nas próximas 24 horas.

De forma menos intensa, mas também grave, o problema verificou-se noutras cidades da China, incluindo Tangshan, a duas horas a leste de Pequim, e Changchun, capital da província de Jilin.