A embaixadora da África do Sul em Lisboa, Keitumetse Matthews, recordou hoje à agência Lusa «a completa compaixão» de Nelson Mandela, considerando que o legado do líder sul-africano é o facto de ter «vivido pelo exemplo».

Afirmando que há muitas memórias de Nelson Mandela e que «é difícil escolher só uma», Keitumetse Matthews, que está em Lisboa desde 2011, evocou «a sua completa compaixão, os seus sentimentos pelo outro, o seu espírito de reconciliação».

«Foi uma pessoa que viveu pelo exemplo, ele percebeu que podemos fazer erros, mas que crescemos e que, se queremos mudar o mundo, temos primeiro de nos mudarmos a nós próprios. É uma lição muito importante para passarmos aos nossos filhos», disse a diplomata.

Keitumetse Matthews, filha do antigo vice-ministro da Segurança Joe Matthews, que serviu no Governo de Nelson Mandela e histórico do Congresso Nacional Africano (ANC), disse ainda que a morte de Mandela é «uma tristeza horrível» para a sua família, uma vez que muitos familiares seus "foram parte da vida" do antigo Presidente sul-africano que hoje morreu.

A embaixadora agradeceu o facto de todo o mundo sentir a perda do líder sul-africano, que era «um pai» para toda a humanidade.

«Ele era um pai para todos nós, para o mundo inteiro. Agradecemos a forma como toda a gente se sente em relação ao nosso líder. Sentimo-nos privilegiados por recebermos esse amor e agradecemos muito», disse ainda a diplomata.

A morte de Nelson Mandela, aos 95 anos, em Joanesburgo, foi anunciada pelo Presidente da República da África do Sul, Jacob Zuma, numa comunicação televisiva.

Líder da luta contra o apartheid, Nelson Mandela foi o primeiro Presidente negro da África do Sul, entre 1994 e 1999.