Um cruzeiro da Royal Caribbean terminou dois dias mais cedo, com o navio a atracar antes do tempo em Nova Jersey, Estados Unidos, depois de 600 pessoas a bordo apresentarem um quadro de vómitos e diarreia. A suspeita recai sobre um norovírus, um vírus que provoca gastroentrite em adultos, sobretudo na América do Norte, e se transmite pela ingestão de alimentos manipulados por mãos contaminadas. É um vírus frequente em locais fechados, como hospitais, restaurantes e cruzeiros.

A decisão de terminar mais cedo a viagem do «Explorer oh the Seas» surgiu depois de elementos do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças visitar o navio, durante a estadia nas Ilhas Virgens.

As causas dos vómitos e diarreia não são ainda claras, mas confirmar-se que se trata de um norovírus, de acordo com a SkyNews, é o segundo grande surto da doença relatada num cruzeiro só este mês.

Ao todo, 564 passageiros e 47 tripulantes relataram sintomas. Muitos foram colocados em quarentena. No Twitter, um dos passageiros elogia o capitão e a tripulação do navio.

O «Explorer of the Seas» partiu de Cape Liberty, Nova Jersey, a 21 de janeiro, para uma viagem de 10 dias. O cruzeiro regressou ao ponto de partida dois dias mais cedo.

A Royal Caribbean disse que o navio vai agora passar por um «programa completo de desinfeção para ter certeza de que quaisquer vestígios da doença são eliminados». Estão também a ser dados os passos necessários para indemnizar os passageiros pelo encurtamento na viagem.