Mais um passo no transporte de austronautas e mais um afastamento da Rússia: a NASA já escolheu quais são as empresas norte-americanas que vão poder levar pessoas ao espaço nos próximos anos, acabando com a dependência que tem das naves espaciais Soyuz russas.

Os vencedores do concurso para a construção das próximas naves foram a Boeing e a SpaceX.

O objetivo é fazer, em 2017, o primeiro lançamento no âmbito deste novo programa da estação espacial internacional, em solo norte-americano e com selo norte-americano.

Os valores potenciais do contrato já são conhecidos: 6,8 mil milhões de dólares (quase 5,3 mil milhões de euros), segundo o chefe da agência espacial norte-americana, citado pela Associated Press. Charles Bolden falava no Centro Espacial Kennedy, situado na Flórida.

A Boeing era a veterana dos concorrentes e vai receber mais de metade do dinheiro (4 mil dólares). A SpaceX é uma empresa com sede na Califórnia e ficará com 2,6 mil milhões.

Desde 2011, altura da última viagem do Atlantis, que agência espacial dos EUA vinha utilizando naves espaciais russas. Atualmente, está a preparar a sua primeira nave Orion, para explorar o espaço num voo de teste já em dezembro.