Mais de 24 mil pessoas juntaram-se à «greve de fome online» em solidariedade com os familiares das vítimas do ferry sul-coreano Sewol, que exigem ao governo uma investigação independente do acidente.

Os defensores da causa assinaram a adesão de pelo menos um dia, num site criado para o efeito.

Centenas de familiares das 304 vítimas mortais do Sewol, que afundou a 16 de abril ao largo da costa da Coreia do Sul, estão acampados há um mês na praça Gwanghwamun de Seul, alguns dos quais cumprindo uma greve de fome.