Uma mulher de 26 anos deu à luz uma criança, que resulta de um embrião concebido um ano após ter nascido aquela que é agora sua mãe.

A 25 de novembro deste ano, o casal Tina e Benjamin Gibson tiveram finalmente a filha, Emma, resultado de um embrião congelado no dia 14 de outubro de 1992, no Centro Nacional de Doação de Embriões, no estado norte-americano do Tennessee.

Depois de vários procedimentos e exames médicos, a bebé nasceu bem e e saudável. Tornou-se o caso recorde de nascimento de um embrião congelado, suplantando um outro com 20 anos de congelação.

Casal sem filhos

Tina casou-se há sete anos com Benjamin Gibson. O casal nunca pôde ter filhos, já que Benjamin sofre de fibrose cística - uma doença hereditária, que pode provocar infertilidade nos homens.

Perante esta condicionante, o casal, que nunca escondeu o desejo de constituir família, optou, diversas vezes, pelo acolhimento temporário de crianças, um processo que consiste em acolher, de imediato, meninos em situação de risco (abandono, maus tratos, negligência) e proporcionar-lhes um ambiente familiar seguro e estável.

Mas, segundo a CNN, foi uma conversa entre si e o seu pai que despoletou no casal a possibilidade de experimentar outro tipo de métodos. 

Eu vi uma coisa nas notícias. Chama-se adoção de embriões e, basicamente, eles implantam um embrião dentro de ti, que dá origem a um bebé depois", contou Tina à CNN, citando as palavras do pai.  

Tina confessou ter ficado um pouco reticente ao início, mas rapidamente percebeu, juntamente com o seu marido, que essa seria uma boa opção.

Passo seguinte

Semanas depois, o casal decidiu tentar a sua sorte e enviou, em agosto, um pedido de adoção para o Centro Nacional de Doação de Embriões, sediado em Knoxville, Tennessee.

Quatro meses mais tarde, e depois de aprovado o seu pedido, começaram os testes e exames médicos.

Assim que terminaram todas as burocracias, testes e procedimentos, os pais de Emma confessaram sentir-se surpreendidos quando lhes disseram alguns detalhes do embrião, nomeadamente a idade.

Sabe que eu tenho apenas 25 anos? Este embrião e eu poderíamos ter sido as melhores amigas.", referiu Tina Gibson. 

Dia 25 de novembro, Gibson entrou em trabalho de parto e deu à luz uma menina saudável e forte, a quem deu o nome de Emma Wren Gibson. Apesar de não partilharem os mesmos genes, o pai, Benjamin, confessou ter ficado encantando assim que olhou para a sua filha. 

Nós estamos tão agradecidos... Ela é um presente de Natal vindo de Deus. Somos muito abençoados", disse a mãe, emocionada.

Recorde batido

O Centro Nacional de Doação de Embriões, que ajudou Gibson a engravidar, disse que Emma é o embrião congelado com mais anos do mundo a nascer, sendo, por isso considerado um recorde mundial.

No entanto, alguns especialistas, como Zaher Merhi - diretor de pesquisa e desenvolvimento da clínica de fertilidade de Nova Iorque, "Hope Fertility Center" -, lembra que as empresas não são obrigadas a divulgar a idade dos embriões usados.