De acordo com um estudo recente, realizado em Budapeste, a estação em que as pessoas nascem pode ter algum impacto na personalidade.

Um grupo de cientistas da Universidade de Semmelweis, em Budapeste, levou a cabo um estudo, com a colaboração de 366 estudantes universitários, que associa o tipo de personalidade à estação do ano em que nasceram.

A investigação chegou à conclusão de que as pessoas nascidas no verão são mais propensas a mudanças de humor, rápidas e frequentes, e que as pessoas nascidas no inverno são menos propensas a desenvolver personalidades irritáveis.

Os aniversários de primavera são mais vocacionados a produzir temperamentos «excessivamente positivos», enquanto as pessoas nascidas no outono têm menos tendência a serem depressivas.

«Estudos bioquímicos mostraram que a estação em que nascemos tem uma influência sobre certos neurotransmissores, tais como dopamina e serotonina. Isso levou-nos a acreditar que a estação do nascimento pode ter um efeito duradouro», disse o pesquisador-chefe Xenia Gonda, professor-assistente na universidade, ao «Telegraph».

Estes neurotransmissores desempenham um papel na regulação de processos cognitivos como a emoção e excitação, contribuindo para o estado de espírito, de modo que os investigadores acreditam que podem influenciar o desenvolvimento de certos tipos de personalidade.

Uma vez que este estudo inicial apenas incluiu uma pesquisa e não seguiu os participantes ao longo do tempo, são necessárias mais pesquisas para determinar exatamente como e em que medida existe uma ligação entre os dois fatores.

«Ainda não posso dizer nada sobre os mecanismos envolvidos», reconheceu Gonda no comunicado. «O que estamos a analisar agora é se existem marcadores genéticos que estão relacionados com a época de nascimento e as mudanças de humor».  

É claro que certos fatores ambientais que estão relacionados com a estação - como alimentos e nutrientes disponíveis, o nível de atividade física da mãe, a temperatura e outros fatores ambientais - também podem afetar o carácter, mais tarde na vida, explicou Gonda.

«[Cerca de] 400 sujeitos é uma amostra relativamente pequena, de modo que os resultados podem ser apenas uma possibilidade», disse Sreeram Ramagopalan, professor de neurociência da Universidade de Oxford, ao «The Huffington Post». Ramagopalan não esteve envolvido no estudo, mas tem estudado os efeitos da época do nascimento sobre transtornos mentais.

«No entanto, para algumas doenças (por exemplo, esquizofrenia), foi encontrado um efeito convincente da estação do nascimento. As hipóteses potenciais para explicar estes resultados são infeções maternas ou os níveis maternos de vitamina D, ambos conhecidos por variar sazonalmente», acrescentou Ramagopalan.

«A estação de nascimento é uma aproximação para vários efeitos ambientais, que estão em ação durante a gestação e logo após o nascimento. Estes períodos são cruciais para o desenvolvimento do sistema nervoso central», explicou Gonda.

O estudo foi realizado na Hungria, que tem um clima de verões quentes e secos e invernos frios, onde as diferenças sazonais nos fatores ambientais podem não ser tão importante como nas áreas mais próximas ao equador.

O estudo foi apresentado na conferência anual da Academia Europeia de Neuropsicofarmacologia (ECNP), em Berlim, na Alemanha, no fim de semana passado.