A Procuradoria-Geral da República do México informou na sexta-feira que foram detidos 13 funcionários por alegada implicação na fuga da prisão de alta segurança de Altiplano do narcotraficante Joaquín El Chapo Guzmán, concretizada a 11 de julho.

Entre os detidos está a antiga chefe do sistema prisional mexicano, Celina Oseguera Parra, e o ex-diretor da prisão, Valentín Cárdenas Lerma. Os dois acusados foram despedidos dois dias depois da fuga de “El Chapo”.

Ambos foram destituídos dos seus cargos pelo secretário-geral do governo, Miguel Ángel Osorio Chong.

Embora já houvesse quase uma dezena de funcionários detidos por alegada implicação neste caso, estes serão, até à data, os quadros de mais alto nível alegadamente implicados na fuga do narcotraficante mais procurado do mundo.

Joaquín Guzmán continua a ser procurado pelas autoridades, que já ofereceram uma recompensa de 3.5 milhões de euros a quem conseguir encontrar o narcotraficante.