poder sair do Vaticano e ir comer uma pizza

«Dei-lhe a pizza e ele a sorrir disse “obrigado”», afirmou Cacialli à estação norte-americana CNN.

«Ainda é difícil acreditar que consegui», confessou.

«Oferecer ao Papa uma pizza que fiz com as minhas próprias mãos é algo muito emotivo. É complicado expressar o quanto este gesto significa para mim, pois ele é um homem que amamos e que valorizamos, uma pessoa bonita, cheio de humanidade», acrescentou.