A antiga secretária de Estado francesa da Família, Nadine Morano, diz que é dever de uma mulher usar biquíni na praia.

As declarações surgem depois de Morano ter visto uma mulher muçulmana numa praia francesa com um lenço na cabeça, uma longa túnica e calças, enquanto o marido tomava banho em calções no mar.

«Quando se decide viver num país de leis seculares como a França, é obrigatório respeitar a cultura do país e a liberdade das mulheres. Ou então vai-se para outro lado», afirmou a ex-governante.

Nadine Morano publicou, no Twitter e no Facebook, uma fotografia da mulher em causa, lado a lado com uma imagem da atriz e símbolo sexual dos anos 60, Brigitte Bardot, em biquíni.





A publicação de Morano e as respetivas declarações provocaram uma avalanche de comentários nas redes sociais.

O antigo líder do Partido Socialista francês, Harlém Désir, afirmou que concorda com Morano, acreditando que a praia deve ser um local de liberdade para todos.

No entanto, muitos foram os que criticaram a posição da antiga secretária de Estado. Valérie Pécresse, antiga ministra francesa, criticou o conceito de liberdade de Morano.

«Desde que não estejam a infringir a lei, as pessoas devem poder vestir o que quiserem», argumentou Pércesse.

O político comunista Ian Brossat também criticou as declarações, afirmando que a «xenofobia nunca vai de férias, nem mesmo na praia».

Morano justificou a sua opinião, descrevendo a situação que observou num resort francês.

«O homem foi sozinho para o mar, contente por usar calções de banho e acenou à companhia submissa enquanto ela estava sentada, rodeada de pessoas em fatos de banho. Ele tinha o direito de se despir e ir nadar, mas ela não», contou.

No Facebook, a publicação já conta com mais de cinco mil comentários e muitos questionam a razão que levou Morano a partilhar a imagem.

«O que me choca não é esta fotografia, mas o facto de um político poder publicar a imagem de uma mulher inocente. O que lhe dá o direito de a julgar? Sou francês e quando vou a Marrocos vejo pessoas em topless na piscina», lê-se num dos comentários.

Morano, de centro-direita, faz parte do grupo de políticos da «União por um Movimento Popular», um movimento que tem sido apontado como força de resistência à ascensão da Frente Nacional de Marine Le Pen e às suas políticas anti-Islâmicas.