Pelo menos 33 pessoas morreram, a maioria membros do Exército, e 46 ficaram feridas em bombardeamentos da aviação iraquiana contra mesquitas das cidades de Biyi e tikrit, norte de Bagdade.

Fonte da segurança iraquiana adiantou à agência espanhola EFE que o ataque mais mortífero aconteceu na mesquita de Al Fatah, em Biyi, 40 quilómetros a norte de Tikrit, que provocou 30 mortos e 40 feridos.

O segundo ataque foi lançado contra a grande mesquita de Tikrit, capital provincial de Saladino e a 160 quilómetros a norte de Bagdade, que causou três mortos e seis feridos.

Nações Unidas vão reforçar apoio humanitário a milhares de deslocados

As agências das Nações Unidas aumentaram a ajuda humanitária ao Iraque, onde centenas de milhares de pessoas foram deslocadas nos últimos dias na sequência da ofensiva de rebeldes sunitas, anunciou um porta-voz da ONU.

«As agências da ONU estão a reforçar os abastecimentos no interior do país, antecipando novas deslocações» de pessoas, explicou o porta-voz adjunto da Organização das Nações Unidas, Farhan Haq, em Nova Iorque.

O Programa Alimentar Mundial organizou o envio, por meios aéreos a partir do Dubai, de material humanitário para Erbil, a capital da região autónoma do Curdistão, a norte do Iraque, referiu.

União Europeia preocupada com saúde de palestinianos detidos em Israel

A chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Catherine Ashton, mostrou esta sexta-feira a sua preocupação com o estado de saúde dos presos palestinianos em Israel que realizam uma greve de fome para protestar contra a implementação da prisão administrativa.

«Estamos a seguir com grande preocupação as informações sobre a deterioração das condições de saúde dos detidos palestinianos que estão a realizar uma greve de fome há várias semanas», declarou a alta representante, em comunicado.

Ashton reiterou que a União Europeia «expressou repetidamente a sua preocupação sobre o uso que Israel faz da detenção administrativa».