O risco de fome extrema está a aumentar muito rapidamente em quatro países, a Nígéria, a Somália, o Sudão do Sul e o Iémen, e o risco de uma crise humanitária está a tornar-se uma "inevitabilidade". O alerta foi deixado esta terça-feira pela agência das Nações Unidas para os Refugiados (UNHCR, na sigla em inglês).

As Nações Unidas apontam a seca e os conflitos armados como as principais razões para esta situação de risco, como explicou o porta-voz, Adrian Edwards.

Estamos a aumentar o nível de alarme para o risco de morte por causa da fome extrema entre estas populações.”

A situação já está a provocar um aumento do número de refugiados nestes países, segundo o mesmo responsável.

De acordo com a agência da ONU, uma crise humanitária pior do que a que, em 2011, levou à morte de 260 mil pessoas no nordeste do continente africano, está a tornar-se “uma inevitabilidade”.  

As palavras deixadas esta terça-feira vêm reforçar um aviso que não é novo. Em março, o Secretário de Assuntos Humanitários das Nações Unidas, Stephen O'Brien, já tinha alertado para a situação vivida nestes países, onde residem cerca de 20 milhões de pessoas.

Na altura, o enviado das Nações Unidas sublinhou que era necessário uma "injeção imediata de fundos".