O museu do 11 de setembro, em Nova Iorque, tem o contributo de Luís Mendes, um arquiteto português que integra a equipa responsável pelo projeto de reconstrução do World Trade Center.

«É um trabalho que demorou cerca de oito, dez anos e custou para cima de um bilião de dólares», afirmou o português.

O espaço de homenagem às vítimas do atentado que fez cerca de três mil mortos abriu este ano, em abril, e já conta mais de um milhão de visitas.

Através de objetos originais em exposição, os visitantes podem recuar até 2001, ao dia da tragédia que ainda hoje se mantém viva na memória do mundo. Podem ser observadas as antigas estruturas de suporte das torres derrubadas e a muralha que protegia os arranha-céus

Situado no local das torres gémeas, o museu está a mais de 20 metros abaixo do nível da rua.