O primeiro-ministro grego, Antonio Samaras, afirma que o empréstimo da estátua grega pelo Museu Britânico à Rússia é uma «afronta ao povo grego».

Uma das estátuas da Antiguidade grega que estão no Reino Unido desde a sua retirada do Parténon em 1803, reconhecidas como os «Mármores Elgin», foi emprestada a um museu russo para ser exibida, divulgou o Museu Britânico.

É a primeira vez que uma destas obras, cuja devolução é reivindicada por Atenas desde a década de 1980, sai do território britânico.

A estátua, a figura de um homem sem cabeça deitado que representa o deus grego do rio Ilissos, vai estar em exibição a partir de sábado até 18 de janeiro no Museu Ermitage em São Petersburgo, por ocasião dos 250 anos da instituição russa.

E assim, refere Samaras, a posição do Reino Unido de que os mármores não podiam ser mexidos, cai por terra, acrescenta a BBC.

Os másmores foram adquiridos por um comerciante britânico no século XIX, mas a Grécia alega que as obras foram levadas do país ilegalmente, quando a Grécia estava sob domínio turco.

A história deste pedaço de História já apaixonou Hollywood. Ou quase. A firma britânica de advogados a que pertence a mulher do ator George Clooney, Amal Clooney, representa A Grécia nesta disputa.