A polícia italiana deteve um marroquino suspeito de ter participado no atentado no museu Bardo, na Tunísia, no qual morreram 22 pessoas em meados de março, foi hoje anunciado.

"Um cidadão marroquino, procurado internacionalmente, foi detido ontem (terça-feira) à noite, numa zona da região de Milão (norte), suspeito pelas autoridades tunisinas de ter participado no atentado no Bardo", indicou um porta-voz da polícia local.


A detenção foi efetuada por agentes da DIGOS, um departamento policial encarregado de operações especiais e terrorismo, com base num mandado de captura internacional.