Uma mulher foi encontrada mumificada em Vicente López, Buenos Aires, depois de os vizinhos terem chamado várias vezes a polícia por causa do mau cheiro.

No entanto, o cheiro não era por causa da mulher, mas sim do filho desta, Claudio Alferi, de 58 anos, que estava morto em casa há cerca de 30 dias.

De acordo com a agência argentina Télam, os vizinhos denunciaram o odor putrefacto e denunciaram que não viam o dono da casa há algum tempo.

Ao chegar ao local, a polícia encontrou a porta fechada por dentro e tiveram de esperar pelos bombeiros para entrar na casa, acompanhados por familiares das vítimas.

Na cozinha, a polícia encontrou o cadáver de Margarita Aimar de Alferi, sentada à mesa, com malas, pantufas e «carinhosamente agasalhada». Pelo seu aspeto, a mulher estava morta há cerca de 8 a 10 anos.

A principal suspeita das autoridades é de que mãe e filho tenham morrido de forma natural, uma vez que não havia ferimentos.

Na casa, também foi encontrada uma grande quantidade de lixo, acreditando-se que o morto sofria de «síndrome de acumulador compulsivo».

Segundo as autoridades, Claudio Alferi vivia isolado e tinha perdido o contato com a família há dois anos.