Os membros do movimento radical talibã anunciaram, esta quinta-feira, o sucessor de Mullah Omar, apenas um dia após os Serviços Secretos do Afeganistão terem confirmado que o líder está morto há dois anos.  

De acordo com a Reuters, Mullah Akhtar Mohammad Mansour, visto como o número dois de Omar, é o sucessor.

“A Shura [conselho de líderes] realizada nos arredores de Queta [no Sul do Paquistão, sede do principal do principal e mais antigo conselho dos talibã] elegeu Mullah Mansour como novo emir dos talibã”, disse à Reuters um comandante da organização, presente no encontro de quarta-feira à noite.


Na prática, Mansour já chefiava o movimento talibã, fundado em 1944, tendo falado em nome do líder a respeito da autorização das negociações de paz iniciadas este mês com o Governo do Presidente afegão, Ashraf Ghani.

Contudo, face às notícias sobre a morte de Omar e a incerteza que estas originaram, as negociações de paz afegãs acabaram por ser adiadas a pedido da liderança.

Omar não era visto em público desde o final de 2001, estando em fuga desde então. O antigo líder foi também aliado de Osama bin Laden na guerra contra os Estados Unidos, depois dos ataques do 11 de setembro.

A morte do fundador da organização talibã já tinha sido avançada pelo menos três vezes, sendo posteriormente desmentida. Mas os Serviços Secretos do Afeganistão garantiram, esta quarta-feira, que Omar terá morrido em Abril de 2013, num hospital de Carachi, no Paquistão.