A fação conservadora da sociedade saudita manifestou-se na terça-feira em frente ao palácio do rei contra a possibilidade das mulheres conduzirem naquele país.

Cerca de 150 clérigos deram voz ao protesto, numa altura em que a pressão para que as mulheres possam conduzir ganha cada vez mais expressão.

O rosto - ainda que tapado - deste movimento a favor das mulheres conduzirem pertence a Manal al-Sharif . A ativista saudita, que já defendeu esse direito nas conferências TED, deixou-se filmar há uns meses a conduzir um carro naquele país.

O vídeo chegou a ser retirado do Youtube, mas voltou a ser publicado agora que se aproxima a data da manifestação que está a ser organizada através das redes sociais para dia 26.

Um clérigo saudita disse, numa entrevista a um jornal islâmico no mês passado, que as mulheres que conduzem estão sujeitas a ter problemas nos ovários e os filhos podem não nascer saudáveis, conta a Reuters.

O conservador Saleh bin Saad al-Lohaidan tentou deste modo contrariar o movimento que incita as mulheres a desafiarem a proibição e a acabarem com o monopólio masculino das estradas na Arábia Saudita.