Os governos do Canadá e de Israel estão a tentar confirmar a informação de que uma mulher de origem canadiana e israelita foi raptada pelo Estado Islâmico, na Síria. O sequestro terá ocorrido quando combatia os jihadistas ao lado das milícias curdas.

De acordo com o «Haaretz», que cita um site de propaganda usado pelos rebeldes, os membros do Estado Islâmico reclamam o rapto de várias guerrilheiras curdas e entre o grupo estará Gill Rosenberg, de 31 anos.

Rosenberg terá sido uma das primeiras mulheres estrangeiras a juntar-se à armada curda. A decisão aconteceu há pouco menos de um mês. Na altura, em declarações a uma rádio israelita, explicou como tudo aconteceu: começou por contactar  vários guerrilheiros curdos pelo Facebook e  depois acabou por viajar até ao Iraque, onde treinou com os combatentes.

«Estive com as tropas nas montanhas durante alguns dias. Eles são como irmãos, são boas pessoas. Amam a vida, são muito como nós», afirmou.


Rosenberg nasceu no Canadá, mas emigrou para Israel em 2006, onde se juntou às forças militares do país, que serviu durante dois anosEm 2009, no entanto, foi extraditada para os Estados Unidos, onde esteve presa três anos devido à sua participação num embuste que envolvia chamadas telefónicas.

Um amigo da guerrilheira afirmou, que Gila - como é conhecida em Israel - é «muito forte», quer em termos físicos, quer psicológicos.

«Ela é incrivelmente forte, tanto ao nível psicológico como físico. Sempre foi uma pessoa muito interessada em questões políticas e é muito pró-Israel», afirmou Daniel Lieber.


Segundo a Sky, Moshe Ya’alon, o Ministro da Defesa de Israel comentou a informação, dizendo que «esperava que não fosse verdade».

Sabe-se que Israel mantém estreitos laços militares e comerciais com a minoria curda, desde a década de 60. Contudo, o país de Bashar Assad proibiu os seus cidadãos de viajarem para países considerados estados inimigos, como é o caso do Iraque e da Síria. Caso um dia queria regressar a Israel, é provável que Rosenberg possa ser acusada de ter violado a lei israelita.