A UNITA denunciou esta quarta-feira «incidentes gravíssimos» registados nos últimos dias na província do Bié e cuja autoria atribuiu ao MPLA, partido no poder em Angola, que provocaram a morte a um militante e «prisões arbitrárias».

Em declarações à Lusa, o porta-voz da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), Alcides Sakala, explicou que os incidentes começaram a 3 de setembro, no município de Cuemba e estão a alastrar a outras comunas.

«Temos conhecimento de uma vítima mortal nestes incidentes, há vários feridos, prisões arbitrárias e a destruição de infraestruturas partidárias, de residências de membros da UNITA e dos respetivos símbolos. Estas ações estão a ser levadas a cabo pelo partido no poder», afirmou Alcides Sakala, como cita a Lusa.