O ministro da Defesa de Israel, Moshe Yaalon, anunciou esta sexta-feira a sua demissão, após o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, ter oferecido o seu lugar ao conservador Avigdor Lieberman. O antigo chefe das forças armadas anunciou a decisão no Twitter, destacando que o líder de Israel perdeu a confiança em si.

“Disse ao primeiro-ministro esta manhã que, devido à sua conduta nos recentes desenvolvimentos e à luz da minha falta de confiança nele, demito-me do Governo e do Knesset [parlamento] e faço uma pausa na minha vida política”, escreveu Moshe Yaalon na rede social.

Netanyahu envolveu-se, nos últimos dias, em negociações com Lieberman, com o objetivo de ampliar a sua estreita coligação governamental e entre as propostas para o atrair para o Executivo ofereceu-lhe a pasta da Defesa, além de promover uma lei para que a pena de morte seja aplicada a terroristas.

A demissão de Moshe Yaalon foi apresentada uma altura em que três sondagens divulgadas pelos órgãos de comunicação de Israel indicaram que os israelitas preferiam Moshe Yaalon a Avigdor Lieberman na pasta da Defesa.