Uma pessoa morreu e quase 200 outras ficaram feridas na sequência de balas perdidas e da explosão de fogo-de-artifício nas Filipinas no arranque das caóticas celebrações da época do Ano Novo, informaram as autoridades.

As autoridades filipinas indicaram que 185 pessoas receberam assistência médica por incidentes relacionados com explosões ou disparos, sendo que uma foi baleada mortalmente, desde 21 de dezembro, altura em que o país, predominantemente católico, inicia duas semanas de férias e folia.

A polícia indicou que cinco civis, um soldado e uma agente foram detidos por dispararem ilegalmente armas de fogo.