Cerca de 4.500 migrantes foram resgatados este fim de semana do Mediterrâneo Central, segundo fontes da Guarda Costeira italiana, número que se soma aos 2.000 salvos na última sexta-feira.

As autoridades também informaram que quatro cadáveres foram localizados entre os migrantes amontoados em barcos.

Este sábado foi um dia movimentado em operações de resgate no Canal da Sicília, que separa a costa de África de Itália. As 35 operações de resgate levadas a cabo permitiram resgatar cerca de três mil migrantes, avança a AFP

O resgate foi levado a cabo pela guarda-costeira italiana que coordena o dispositivo de resgate da zona central do Mediterrâneo. 

De acordo com uma Organização Não-Governamental que participava nas operações, as três mil pessoas foram resgatadas ao longo do dia e durante a noite foram levadas a cabo mais 15 operações de resgate.

Na sexta-feira já tinham sido socorridos mais de dois mil migrantes no Mediterrâneo. Já este domingo, pelo menos 20 migrantes morreram afogados ao largo da Líbia, noticia a Reuters, que cita o fotógrafo Darrin Zammit Lupi, que se encontrava a bordo do barco de resgate Phoenix.

O fotógrafo da Reuters diz que viu pelo menos 20 corpos quando a pequena embarcação em que seguiam os migrantes começou a ser resgatada pela equipa da organização não-governamental sediada em Malta, a MOAS.

Desde o início de 2017, 666 pessoas que tentavam alcançar a Líbia morreram ou desapareceram no mar Mediterrâneo.