Pelo menos 50 pessoas, a maior parte polícias e civis armados, foram mortas pelo Estado Islâmico, depois de este ter assumido o controlo da maioria dos bairros centrais de Ramadi, no centro do Iraque.

Fontes das forças de segurança informaram que as pessoas foram mortas a tiro por apoiantes daquele grupo, que também fez explodir o quartel-general da polícia e a sede do governador.

Segundo as mesmas fontes, o grupo extremista passou a controlar o complexo governamental e já içaram a bandeira do Estado Islâmico nos edifícios oficiais da cidade.

Já na Síria, apoiantes do grupo extremista Estado Islâmico executaram 23 civis, incluindo nove crianças perto da cidade de Palmyra, segundo um funcionário humanitário.

“O grupo Estado Islâmico executou a tiro 23 civis, incluindo nove crianças, na povoação de Amiriyeh, norte de Tadmor”, afirmou o líder do Observatório Sírio dos Direitos Humanos, Rami Abdel Rahman.

Segundo a mesma fonte, entre as vítimas mortais estavam membros da família de funcionários do governo.