A guerra na Síria já matou mais de 220 mil pessoas desde o início da revolta contra o regime de Bashar Al-Assad, em março de 2011, anunciou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

«Registámos 222.271 mortes desde o início dos confrontos, em março de 2011», disse o chefe do OSDH, Rami Abdel Rahman, à agência noticiosa AFP, acrescentando que o número de mortos entre os civis chega aos 67.293, incluindo 11.021 crianças.

De acordo com esta organização não-governamental, com uma extensa rede de informação no país, entre os combatentes contra o regime, há a registar 39.848 rebeldes sírios mortos e mais 34.872 jihadistas estrangeiros.

No que diz respeito às forças que apoiam o regime de Bashar Al-Assad, houve a registar 46.843 soldados mortos, 34,872 membros das milícias das Forças de Defesa Nacional, 683 membros dos xiitas do Hezbollah e ainda 2.844 de outros países.

O registo dos mortos não contabiliza cerca de 20 mil pessoas cujo paradeiro é desconhecido, acrescentou o Observatório, mostrando-se convicto, por isso, que o número real é certamente superior aos 220 mil anunciados.