Depois de conhecidas as nacionalidades dos feridos do ataque de Barcelona, começam a ser divulgadas as identidades das vítimas mortais. Neste momento, estão identificadas todas as vítimas mortais, entre as quais uma mulher portuguesa, de 74 anos, da região de Lisboa, e a neta desta, de 20 anos. 

Avó e neta tinham chegado naquele dia a Barcelona, ligado à família e saíram para o primeiro passeio na cidade, pelas Ramblas, quando foram colhidas. A informação foi confirmada pelo secretário de Estado das Comunidades, em Barcelona, a acompanhar a família das vítimas.

Outra das vítimas é belga. As autoridades belgas já tinham avançado que uma cidadã estava entre os mortos do atentando e esta sexta-feira, a Associated Press, avançou que se trata de Elke Vanbockrijck, de 44 anos, que estava na cidade com o marido e os filhos. De acordo com o ministro dos Negócios Estrangeiros belga, Didier Reynders, desconhece-se se a família de Elke está entre os feridos. Há ainda dois cidadãos belgas feridos, um deles em estado grave.

Por sua vez, as autoridades espanholas confirmaram a identidade de uma das vítimas espanholas: Francisco López Rodríguez, com cerca de 60 anos, natural de Granada, faleceu no ataque. A mulher do espanhol ficou ferida com gravidade e a sobrinha e o filho desta morreram no ataque.

Pepita, de 75 anos, passeava com a filha nas Ramblas quando a carrinha avançou sobre a multidão. Ambas ficaram feridas mas, segundo confirmou o presidente de Sant Hipòlit de Voltregà, a idosa viria a falecer. 

Uma criança de três anos de Rubi (Barcelona) estará, também, entre as vítimas mortais, segundo informações da imprensa espanhola. A criança - não identificada - ficou ferida no ataque e morreu já no hospital de San Pau.

Este sábado, o El País avançou que a quarta vítima mortal espanhola é Pablo Pérez Villán, natural de Tórtoles de Esgueva. As primeiras investigações apontam que o jovem foi apunhalado por um dos terroristas quando fugia do controlo policial.

Já a mulher que morreu em Cambrils foi identificada como Ana María Suárez e era natural de Zaragoza. Estava naquela localidade de Tarragona com o marido e a irmã, que ficaram feridos no ataque terrorista. 

Outra vítima mortal identificada é um cidadão italiano: Bruno Gulotta. A sua morte foi confirmada pela empresa onde trabalhava, Tom's Hardware, que acrescentou ainda que o "colega e amigo" estava em férias na cidade com a companheira e os dois filhos de seis e sete meses.

Segundo a agência Ansa, a mulher contou à família que quando a carrinha entrou nas Ramblas, a família estava a passear e o marido atirou-se para a frente dos filhos para os salvar.

 

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Stefano Verrecchia, avançou que há outra vítima mortal italiana. Trata-se de Luca Russo, um jovem de 25 anos, estudante de engenharia, que estava de férias com a noiva em Barcelona.

A jovem sofreu ferimentos ligeiros.

Luca Russo (Foto: reprodução/Facebook)

Um cidadão norte-americano está entre as vítimas mortais, revelou o secretário de estado dos EUA, Rex Tillerson, que enviou as “mais profundas condolências” aos familiares. Jared Tucker encontrava-se em Barcelona com a mulher para celebrar o primeiro aniversário de casamento.

Jared Tucker, com a mulher Heidi, pouco antes do atentado [Reprodução/Facebook]

Por sua vez, o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, confirmou que há um canadiano entre as vítimas mortais. Trata-se de Ian Moore Wilson que estava nas Ramblas com a mulher, Valerie, cuja identidade foi confirmada pela família em comunicado. Há ainda quatro feridos desta nacionalidade.

Duas argentinas com dupla nacionalidade morreram também no ataque. Carmen Lopardo, de 80 anos, nascida em Itália mas a viver na Argentina há mais de 60 anos estava de visita a Barcelona. Já Silvina Alejandra Pereyera, de 40 anos, vivia em Barcelona há 10 anos. 

Há ainda dois argentinos feridos: a turista María Cristina Deambrosi, de 67 anos, e Pablo Sebastián Abecasis, de 36, residente na Catalunha.

Segundo o jornal El País, há ainda entre os feridos 13 alemães, 28 franceses (oito deles em estado crítico, entre os quais quatro crianças), 4 australianos (entre eles o menino de sete anos que esteve desaparecido e a mãe), 1 colombiano, 5 cubanos (quatro em Barcelona, um em Cambrils), 2 equatorianas (identificadas como Katty Vargas Bonilla e Carmen Judith Romero), 2 venezuelanas (identificadas como Alyaris Vargas e Alejandra Roa), 1 cidadã das Honduras (identificada como Leydi Dayana Pagoada), uma russa, duas costa-riquenhas (que estudam em Barcelona), três marroquinos (uma criança de seis anos, Aboubakr El Hamzaoui, o pai da criança, Omar, e Rquia Ouhou, de 43 anos) e uma peruana.

Há ainda um colombiano desaparecido.

Os ataques na Catalunha fizeram pelo menos 19 mortos, entre vítimas e suspeitos abatidos.

A Polícia da Catalunha já deteve três pessoas por suposto envolvimento no ataque que foi entretanto reivindicado pelo Estado Islâmico.