O Ministério Público da Venezuela confirmou que 74 pessoas morreram em 80 dias de protestos, no âmbito de manifestações contra o regime do Presidente Nicolás Maduro.

Até agora temos 74 pessoas que perderam a vida, é lamentável"

A procuradora-geral da Venezuela, Luísa Ortega Díaz, adiantou também aos jornalistas que, desde 1 de abril, 1.413 pessoas ficaram feridas, das quais 1.135 são civis.

Por outro lado, foram abertos processos jurídicos contra 3.971 cidadãos, que implicaram a realização de 6.988 atos do MP.

Veja também:

Ontem, a oposição venezuelana declarou-se  em "desobediência civil" ao regime do Governo do Presidente Nicolás Maduro e anunciou que iniciará uma nova fase de luta contra a ditadura.

O anúncio foi feito durante uma conferência de imprensa em Caracas, em que condenou a decisão do Supremo Tribunal de Justiça de admitir um pedido para submeter a um julgamento a procuradora-geral da Venezuela, Luísa Ortega Díaz.

"Queremos anunciar ao mundo inteiro que usaremos todos os mecanismos para mudar de Governo", disse Júlio Borges, presidente do parlamento venezuelano, onde a oposição detém a maioria.