A apenas uma semana de terminar o secundário, um jovem norte-americano foi encontrado morto devido a uma overdose de cafeína, conta o «Daily Mail».

Logan Stiner, 18 anos, foi encontrado sem vida a 27 de maio, na sua residência, em LaGrange, Estado do Ohio, junto a um pó branco, que após análises, se confirmou ser cafeína em pó. A autópsia revelou que o jovem não resistiu a uma arritmia cardíaca e a uma convulsão, causada por uma dose letal do produto: 70 microgramas por cada mililitro de sangue, quando, segundo especialistas, apenas 50 microgramas chegam para causar a morte.

Todos os indícios apontam para uma overdose acidental, e o médico legista, Stephen Evans, confirmou que Stiner era um jovem «saudável» e que este pode ter sido um caso falta de informação sobre os perigos da cafeína.

As «pessoas desconhecem que a cafeína pode ser fatal. A [cafeína em pó] é perigosa, eu nem sabia que era vendida na internet», afirmou ao «Chronicle-Telegram».

A mãe do jovem afirmou que desconhecia que o seu filho tomava a substância, e que só encontrou os sacos com a cafeína depois da sua morte. A única coisa que Logan contou à mãe foi que tomava uma nova «mistura» antes de fazer exercício.

«Ele não sabia o que estava a fazer. [Ele] estava no auge da sua vida», afirmou a mãe ao «Chronicle-Telegram».

O jovem foi lembrado na cerimónia de entrega dos diplomas do secundário, por um grupo de estudantes que lançou um conjunto de balões ao ar, após um minuto de silêncio.