Um homem sul-coreano de 66 anos, que tinha recebido tratamento para a síndrome respiratória do Médio Oriente, morreu este domingo, meses depois de ter sido extinto o surto da doença na Coreia do Sul.

Trata-se do primeiro caso de morte por síndrome respiratório do Médio Oriente em mais de três meses e meio e que eleva para 37 o número de mortes, indicou o Ministério da Saúde da Coreia do Sul.

A vítima mortal é um homem a quem tinha sido diagnosticado o novo coronavírus no passado mês de junho depois de ter acompanhado a sua mulher, também infetada, a um hospital de Seul onde se registou a maioria dos casos de contágio.

O homem nunca chegou a estar estabilizado e foi mesmo submetido a um transplante pulmonar, embora depois do tratamento as análises se tenham revelado negativas para a síndrome respiratória do Médio Oriente.

Em julho, o Governo da Coreia do Sul deu como extinto o surto do novo coronavírus que até àquele momento tinha causado a morte a 36 pessoas naquele país asiático, desde que detetado pela primeira vez a 20 de maio.

Quase 17 mil pessoas foram submetidas a quarentena na Coreia do Sul devido a este novo coronavírus, para o qual não existe vacina nem tratamento considerado totalmente efetivo.