Deveria ser um momento de privacidade absoluta, mas um pai de Ohio, nos EUA, decidiu usar as redes sociais para mostrar o sofrimento do filho de oito anos, no momento em que este toma conhecimento de que a mãe morreu, vítima de uma overdose de heroína. Brenden Bickerstaff-Clark partilhou o registo no Facebook e justificou a polémica decisão: mostrar ao mundo o sofrimento que a droga provoca. O vídeo já foi visto milhões de vezes e as imagens dividiram opiniões na internet.

“Pedi a uma pessoa para gravar para que os viciados que têm filhos possam ver a seriedade desta nossa epidemia”, explicou Brenden Clark na publicação no Facebook, defendendo que, desta maneira, poderá alertar para outros casos.

 

Na descrição do vídeo, Brenden Clark escreveu: "Isto é para todos os viciados que têm filhos. Hoje eu tive que dizer ao meu filho de oito anos que a mãe morreu na noite passada por causa de uma overdose de droga. É a realidade da nossa doença. Não deixe que esta enfermidade faça com que alguém tenha de dizer ao seu filho que você morreu por causa das drogas. Esta foi uma das coisas mais difíceis que já tive de fazer. O meu filho não tem mãe por causa da heroína…É difícil de ouvir, mas você deve ouvir o que estou a dizer. Por favor, procure ajuda para que os seus filhos não sofram. Esta não é uma montagem. Isto é real. Pedi a uma pessoa para gravar para que os viciados que têm filhos possam ver a seriedade desta nossa epidemia. Eu sou um viciado em recuperação, há 94 dias limpo… Por favor, partilhe esta mensagem e talvez você vá ajudar a salvar a vida dos pais de uma criança".

No vídeo, vemos o momento em que a criança é confrontada com a morte da mãe.

“Eu tenho uma coisa para te dizer, okay?...A tua mãe morreu ontem à noite”, diz o pai à criança, cuja primeira reação é de choque. “O quê? O que queres dizer? A minha mãe? Como?”, pergunta o menino pouco depois. “Por causa das drogas”, responde o pai, deixando o miúdo a chorar. Ao ver o desespero do filho, Brenden Clark passa para o outro lado da mesa e abraça o menino dizendo: "Amo-te".

O facto de o homem ter gravado e partilhado o difícil momento tem merecido duras críticas. A título de exemplo, pode ler-se o seguinte comentário no Facebook: “Perdi a minha mãe por volta desta idade e nunca na vida ia querer uma gravação desse ‘dia negro’”.

Mas se a atitude de Brenden Clark, em tornar público o problema com as drogas expondo o próprio filho, foi condenada por internautas que entendem que este tipo de notícia deve ser dada em privado e apenas no âmbito familiar, sem expor a criança, houve também quem apoiasse a atitude do homem. "Eu espero que o vídeo abra muitos olhos. Fique forte", escreveu a internauta Sheila Keith.

"Partilhar este momento, era a coisa certa a fazer", escreveu outra internauta.

Um relatório recente emitido pela ONU alertou que os Estados Unidos têm vivido uma epidemia de heroína, onde o uso desta droga triplicou em apenas dez anos. De acordo com a investigadora Angela Me, responsável pelo relatório, o consumo de heroína atingiu o nível mais alto nos Estados Unidos nos últimos 20 anos.