Pessoas que apresentem indicadores anormais em quatro biomarcadores têm cinco vezes mais probabilidade de morrer nos próximos cinco anos, mesmo que se encontrem agora em perfeita saúde.

Quem o diz é um estudo do Instituto da Medicina Molecular da Finlândia publicado esta quarta-feira. Albumina, glicoproteína ácido-alfa-1, citrato e partículas de lipoproteínas de baixa densidade, são os biomarcadores definidos na investigação médica.

O jornal «The Telegraph» escreve que ao longo de cinco anos foram analisadas mais de 17.000 amostras de sangue, provenientes de pessoas saudáveis, em mais de 100 biomarcadores.

Durante esse período 684 pessoas morreram. Cancro e doenças cardiovasculares estão entre as razões das mortes. Os investigadores descobriram que todos estes pacientes tinham níveis semelhantes (e anómalos) em quatro biomarcadores.

Um biomarcador é uma molécula biológica que se encontra no sangue, fluídos corporais ou tecidos e que podem indicar um processo anormal, estado clínico ou doença.

A identificação de fragilidades nos pacientes poderá permitir, no futuro, desenvolver tratamentos mais precoces e adequados.