"Já não há gatos ou cães vivos na cidade. Até começam a escassear as folhas das árvores que temos comido", disse ao canal Al-Jazeera, por telefone, um dos habitantes da cidade, Abu Abdul Rahman. "Descrever a situação como sendo trágica é pouco quando vemos a realidade no terreno”, acrescentou.








"As pessoas estão há muito tempo sem alimentos básicos, sem medicamentos básicos, sem eletricidade nem água (...) Vi a fome nos olhos delas", afirma.