O "Montblanc" é a montanha mais mortal do mundo e, esta quinta-feira, causou mais duas mortes. Foram encontrados sem vida dois homens que estavam, desde segunda-feira, a escalar o pico mais alto da Europa. A causa da morte foi a hipotermia, avança a imprensa francesa.

Os dois homens, com idade a rondar os 40 anos e de nacionalidade alemã, tinham deixado o refúgio de Torino, esta segunda-feira, pela manhã, quando começaram a viagem, ambos presos por cordas.

Segundo as autoridades, os alpinistas foram apanhados por uma tempestade, que tinha ventos na ordem dos 120 km/h. Os dois alemães nunca chegaram ao topo. O trilho escolhido é considerado difícil e os dois homens não conseguiram sair do local depois de terem sido surprendidos pela tempestade.

O alerta de desaparecimento foi dado pelos familiares, na terça-feira, à noite. Os corpos foram encontrados num vale, esta quarta-feira, por um helicóptero das autoridades.  

Na altura, em que os homens começaram a escalar o Montblanc (Monte Branco) o tempo permitia a subida, segundo declarações das autoridades à AFP.

O Montblanc (Monte Branco) tem uma altura de 4 808,73 metros e é considerada a montanha mais alta dos Alpes e da União Europeia. E todos os anos atrai milhares de alpinistas à região. Estima-se que 6.000 a 8.000 alpinistas morreram em acidentes no Montblanc (Monte Branco), tornando-se assim, líder de acidentes mortais numa montanha.