O grupo radical islâmico da Nigéria Boko Haram tomou este domingo a cidade de Monguno no nordeste do país, onde está instalada uma base militar, após ter lançado uma ofensiva contra as forças governamentais, disse à AFP fonte militar.

«Monguno caiu», disse um oficial do Exército da Nigéria à agência France Press que pediu para não ser identificado por não ter sido autorizado a prestar declarações pelos superiores hierárquicos.

Uma outra fonte dos serviços de segurança da Nigéria confirmou que os extremistas controlam a cidade de Monguno, situada a 125 quilómetros de Maiduguri, a capital do Estado de Borno.

A ofensiva do Boko Haram começou há menos de 24 horas na região e acontece no mesmo dia em que o secretário de Estado norte-americano John Kerry se encontra em Lagos para contactos com o governo e o presidente Goodluck sobre a situação de conflito e as eleições presidenciais de fevereiro.

Um outro ataque do Boko Haram foi lançado contra a cidade de Maiduguri onde, segundo os jornais de Lagos, decorrem confrontos com as tropas do governo.

O Boko Haram luta pela instauração de um estado islâmico na Nigéria e mantém uma campanha de violência no país tendo provocado a morte de pelo menos três mil pessoas desde o princípio do ano, de acordo com dados do governo de Lagos.

EUA disponíveis para ajudar Nigéria a derrotar Boko Haram

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, que esteve este domingo em Lagos, disse que os Estados Unidos estão dispostos «a ir mais além» para ajudar a Nigéria a derrotar os extremistas do Boko Haram.

«Vamos continuar a apoiar os militares (da Nigéria) neste combate. O Boko Haram continua a matar inúmeros civis inocentes», disse Kerry, condenando os ataques extremistas islâmicos no país.

Kerry, que se encontrou com o chefe de Estado da Nigéria e o líder da oposição, disse que os Estados Unidos estão «profundamente empenhados» e «preparados a fazer mais» no combate contra o Boko Haram.