O massacre de Nice teve direito a ensaios de preparação terça e quarta-feira por parte Mohamed Lahouaiej Bouhlel, mesmo por baixo das câmaras de videovigilância do local.

A notícia é avançada pela rádio Europe 1, que fala das imagens que já foram analisadas pela polícia. Bouhlel terá conduzido o mesmo camião pela marginal de Nice, várias vezes, nos dois dias anteriores ao ataque, presumivelmente para avaliar o melhor local e a melhor forma para executar o seu plano.

Na noite da passada quinta-feira acabou por levar a cabo o atentado que matou mais de 80 pessoas, das quais dez eram crianças, e feriu acima de 200. Nos hospitais da cidade permanecem internadas várias dezenas de feridos, muitos em estado grave.

Além da rádio Europe 1, também vários jornais franceses confirmam os “ensaios preparatórios” do homem de 31 anos, tunisino e que, tal como já foi confirmado por familiares, tinha uma depressão nervosa que se revelava, por exemplo, em manifestações exteriores de violência.

Já o canal de televisão iTele, acrescenta que, pela informação e material recolhidos, foi possível apurar que dias antes do ataque Bouhlel vendeu o carro e levantou todo o dinheiro que tinha na conta bancária. 

Talvez tenha sido essa a razão que o levou a enviar dinheiro ao irmão, tal como o próprio revelou ao jornal Daily Mail.

A imprensa acrescenta também que Bouhlel terá comprado uma pistola de calibre 7.65 e encomendado outro armamento. Informação que terá sido depreendida pelas mensagens recuperadas do telefone que os investigadores resgataram no apartamento do tunisino.

Pelo telemóvel foi também possível ter acesso a mensagens enviadas e recebidas pelo homem entre as quais, uma em que se mostrava feliz por ter comprado uma pistola e questionava o destinatário sobre o fornecimento de outras armas que teria encomendado, noticia também a agência France Press que cita fontes ligadas ao inquérito.

Bouhlel fez questão de registar o momento e no telemóvel foi também possível aceder a uma fotografia selfie tirada ao volante do camião frigorífico na véspera do ataque, e que terá sido enviada para vários números, diz ainda a agência.

A caça ao homem está longe de estar fechada. Desde quinta-feira que as autoridades detiveram várias pessoas suspeitas de ligações ao massacre no Passeio dos Ingleses - assim se apelida a avenida de Nice . A ex-mulher do autor do ataque também foi levada sob custódia policial. Este domingo foram detidos mais uma mulher e um homem suspeitos de ligações ao camionista.

O nervosismo e atenção continuam em alerta máximo na cidade.