Dois jornalistas da Al-Jazeera foram libertados da prisão egípcia onde estiveram mais de um ano detidos esta sexta-feira, anunciaram as famílias.

Um tribunal do Cairo ordenou na quinta-feira a libertação do canadiano Mohamed Fahmy e do egípcio Baher Mohamed, que serão sujeitos a uma repetição do julgamento por acusações de apoio à Irmandade Muçulmana.

Os dois homens, juntamente com o australiano Peter Greste, também já libertado, cobriram a repressão dos islamitas que se seguiu à deposição pelas Forças Armadas do Presidente eleito Mohamed Morsi, em julho de 2013, tendo sido condenados em junho de 2014 a penas de prisão entre os sete e os dez anos.

Em janeiro, esse julgamento foi anulado por um tribunal de recurso, que ordenou a repetição do julgamento.

A próxima audiência deste segundo processo foi marcada para 23 de fevereiro.