Os tradicionais bolinhos de arroz que se comem no Japão na noite de passagem de ano já provocaram a morte de pelo menos nove pessoas, nos últimos dias. Todos os anos os «Mochi» são notícia pelas piores razões, mas, desta vez, um elevado número de vítimas mortais devido à ingestão destes bolos está a alarmar as autoridades japonesas.

Podem ser servidos na sopa, embebidos em molho de soja ou envolvidos em algas secas, mas em qualquer um dos casos podem representar um perigo para o consumo humano. Tudo por causa da sua textura gelatinosa que os torna difíceis de engolir.

A sua ingestão é especialmente preocupante no caso dos idosos, que apresentam mais dificuldades em mastigar este tipo de alimentos. De resto, mais de metade das mortes, cerca de 80%, ocorreram entre os mais velhos. Por isso, as autoridades recomendam que se divida os bolos em várias partes antes de os mastigar.

O ano passado, os «Mochi» fizeram pelo menos quatro vítimas mortais e a pensar nisso, uma empresa de Osaka criou estes bolos com uma enzima especial que os torna menos pegajosos e facilita a sua digestão.

O consumo destes bolos faz parte de uma das tradições mais populares no país. Os japoneses acreditam que os «Mochi» representam boa sorte e felicidade.

Estima-se que um cidadão do Japão coma cerca de um quilo destes bolos por ano, sendo que é durante a primeira semana de janeiro que se consomem em grandes quantidades.