A Renamo, principal partido de oposição em Moçambique, ameaçou esta quinta-feira vingar-se do ataque de sábado contra a comitiva do seu líder, Afonso Dhlakama, acusando o chefe de Estado, Filipe Nyusi, de ter dado ordens para um alegado atentado.

"A Renamo [Resistência Nacional Moçambicana] vai usar tudo o que estiver ao seu alcance para se vingar da tentativa direta para assassinar a pessoa mais querida dos moçambicanos e que dedicou a sua vida para devolver a dignidade ao povo moçambicano. O povo vai reagir para repor a justiça", afirmou hoje, em conferência de imprensa, o secretário-geral da Renamo, Manuel Bissopo, sobre o ataque de sábado, na província de Manica, centro de Moçambique.

Questionado se a Renamo irá recorrer à força para responder ao suposto atentado contra o seu líder, o secretário-geral do principal partido de oposição assinalou que é do domínio público que o partido tem armas, mas frisou que "a reação será à medida dos ataques das Forças de Defesa e Segurança moçambicanas".