A batata-doce vai ser o alimento-chave para combater a desnutrição em Moçambique. As autoridades moçambicanas vão introduzir 15 variedades deste alimento melhoradas nos campos da província mais populosa de Moçambique, Nampula, no norte do país, para combater os elevados índices de desnutrição, anunciou a Direção Provincial de Agricultura.

A medida faz parte de um projeto de sete anos, que arrancou em 2014, em parceria com a organização não governamental Feed The Future (FTF) e a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid), beneficiando as famílias - a maioria dos agregados moçambicanos pratica agricultura de subsistência.

Prevê-se que 102 mil famílias tenham acesso a ramas das novas variedades de batata-doce, a par de formação sobre a cultura por forma a torná-la mais eficiente, de acordo com informação consultada hoje pela Lusa.

As novas variedades são mais ricas em vitaminas A, C, potássio e ajudam a reforçar o sistema imunitário.

De acordo com a Direção Provincial de Agricultura e Segurança Alimentar de Nampula, a desnutrição crónica é um problema de metade de população da província, sendo 43% dos afetados crianças com menos de cinco anos de idade.

Dados preliminares do Censo 2017 indicam que Nampula possui uma população calculada em 6,1 milhões de habitantes.