A Polícia da República de Moçambique (PRM) deteve dois suspeitos de matar um rapaz albino de 11 anos, no distrito de Milange, centro do país, junto à fronteira com o Malawi, disse à Lusa fonte da corporação.

O corpo com as orelhas cortadas e a cabeça rapada foi encontrado pela PRM no mato, no sábado, após um alerta da população, relatou Miguel Caetano, porta-voz da PRM na província da Zambézia.

Os indícios sugerem que o objetivo dos autores do crime seria usar partes do corpo da vítima em rituais, prática comum em muitos locais de África em que se crê que as partes do corpo de albinos têm poderes sobrenaturais para atrair poder e riqueza.

Este foi o primeiro homicídio de um albino registado em Moçambique este ano.

Ao contrário do que chegou a ser noticiado na segunda-feira sobre um alegado resgate da criança, tal não chegou a acontecer: quando a Polícia da República de Moçambique (PRM) chegou ao local, já a encontrou morta, precisou Miguel Caetano à Lusa.

A vítima tinha sido raptada de casa dos pais, no distrito de Milange, durante a noite, e a PRM suspeita que haja outros três suspeitos envolvidos ainda a monte.

De acordo com o informe anual da Procuradoria-Geral da República de Moçambique, em 2016 foram movimentados 19 processos relacionados com casos de tráfico humano dos quais sete tinham como vítimas cidadãos com albinismo.

Estima-se que um número indeterminado de casos não chegue sequer à justiça.