O deputado Armindo Milaco, da Renamo, principal partido da oposição moçambicana, morreu no ataque de segunda-feira à base do movimento pelo exército moçambicano, disse esta sexta-feira à Lusa o porta-voz da bancada parlamentar do partido, Arnaldo Chalaua.

O líder da Renamo (Resistência Nacional Moçambicana), Afonso Dhlakama, alguns dos seus colaboradores mais próximos e elementos da sua guarda pessoal encontram-se em lugar incerto, depois de a residência do líder partidário, no centro do país, ter sido tomada pelas forças de defesa e segurança moçambicanas.

Em declarações à Lusa, o porta-voz da bancada parlamentar da Renamo, Arnaldo Chalaua, adiantou que o deputado Armindo Milaco morreu em consequência dos ferimentos que contraiu durante a ofensiva do exército.