Uma adolescente americana foi queimada viva juntamente com o seu carro, na noite de sábado passado, no Mississipi, nos EUA. O caso ainda se encontra sob investigação, mas Jessica Chambers poderá ter dado uma pista aos bombeiros antes de morrer. Além disso, os investigadores acreditam que o seu telemóvel poderá ser a «chave» do crime, pois a rapariga recebeu uma chamada antes de sair de casa.
 
Jessica Chambers foi encontrada pelos bombeiros ainda com vida, pois o departamento que respondeu à chamada do incêndio conseguiu chegar rapidamente ao local porque se encontrava apenas a alguns quilómetros de distância, contou John Champion, procurador do distrito 17º do Mississippi, à BBC.
 
Quando os bombeiros chegaram ao local, em Courtland, a rapariga aproximou-se deles e disse-lhes algo. «Deu-nos uma pista que estamos a seguir», disse Champion, não podendo adiantar pormenores sobre a informação que a adolescente tinha fornecido.
 
O procurador também revelou que estão a investigar os registos das chamadas do telemóvel de Jessica, para verificar com quem é que a adolescente falou antes de morrer. 

As autoridades dizem que foi utilizado um acelerador de combustão, mas não se sabe se foi derramado no carro ou na própria jovem de 19 anos. Jessica foi levada para um hospital em Memphis, mas acabou por falecer no dia seguinte. Uma autópsia revelou que a jovem tinha morrido devido às queimaduras que cobriam 98 por cento do corpo.
 
Uma hora e meia antes do incêndio, Jessica foi vista numa estação de serviço e a câmara de vigilância gravou tudo. Na gravação vê-se um homem a encher um bidon com gasolina e a adolescente a acenar alguém, sair do ângulo da câmara por alguns segundos e regressar.

 

Ali Alsanai, o trabalhador dessa noite, foi a última pessoa a ver a adolescente viva e disse que não parecia haver nada errado. Apesar de ainda não haver suspeitos, Alsanai espera que o culpado seja encontrado rapidamente e que tenha pena perpétua ou pena de morte, dizendo que «ele merece».
 

«Ela parecia normal. Não me pareceu que algo de errado se passasse. Ela apenas parecia normal. Colocou gasolina, falámos um bocado e ela foi embora», contou Alsanai à BBC.

 
Ben Chambers, o pai da adolescente, é funcionário na polícia do condado de Panola e tem fé que os seus amigos e colegas vão conseguir descobrir quem matou a sua filha.
 
Até ao momento, a polícia ainda não revelou a existência de suspeitos nem houve detenções, mas já várias pessoas foram interrogadas. A página do Facebook « Justice for Jessica», criada para apoiar os familiares, já tem mais de 87 mil gostos.