O chefe da Missão das Nações Unidas de Resposta à Emergência do Ébola (UNMEER) na Guiné-Conacri afirmou, esta segunda-feira, que a violência registada no oeste do país “colocou em causa” o combate ao vírus mortal.

Cerca de 60 pessoas foram detidas na sequência de uma vaga de protestos na semana passada, de acordo com as autoridades e moradores.

Em comunicado, Abdou Dieng advertiu que esses incidentes “colocaram em risco o tratamento das pessoas com Ébola” e apelou ao apoio e colaboração de todos.